BNCC – Base Nacional Comum Curricular: o que ensinar e por quê

As perguntas centrais da educação sempre foram as mesmas durante toda a História. Não é diferente após aprovação da BNCC: como devem ser educadas as pessoas em nossa sociedade? O que devem saber e para quê? Como conhecem? Como organizar a implementação da BNCC? Como avaliar se o que fazemos está dando certo? Como a escola deve pensar seu projeto político pedagógico? Como lidar com a formação do professor? Como implantar novas abordagens tecnológicas?

Lauri Cericato

É diretor editorial, educador, professor, consultor e palestrante na área de educação. Atua na área editorial ligada à educação básica há mais de 20 anos, com a responsabilidade de garantir a qualidade dos conteúdos, tanto para escolas particulares, quanto para escolas públicas. Atua na produção de livros didáticos, sistema de ensino, ELT – Inglês e ELE – Espanhol, livros digitais, apps e plataformas.

Músicas da tradição oral na Educação Infantil

O objetivo dessa oficina é desenvolver um olhar diferenciado em relação às novas propostas da Base Nacional Comum Curricular, que propõem que a criança vivencie as diferentes formas de brincar e aprender por meio das músicas da tradição popular. Com isso, ela poderá se comunicar com o mundo, ampliar seu repertório de palavras e conhecer seu próprio corpo. A utilização da música como recurso pedagógico ajuda a afinar a sensibilidade das crianças, aumenta a capacidade de concentração, desenvolve o raciocínio lógico-matemático e a memória, além de ser uma forte desencadeadora de emoções.


Daniela Agostini

Professora de Educação Infantil formada em Pedagogia e pós-graduada em Educação Especial. Já atuou na área de Coordenação Pedagógica e, atualmente, ministra aulas na Educação Infantil do Colégio Piaget.

A percepção da geometria e a interdisciplinaridade na Educação Infantil

O objetivo dessa oficina é desenvolver a percepção das formas e do espaço de maneira criativa e divertida. São mais de 20 ideias que podem ser introduzidas nos diversos campos de experiência a serem trabalhados na Educação Infantil

Eliane Ciscato

Formada em Educação Artística com habilitação em Artes Plásticas pela Faculdade de Belas Artes do Estado de São Paulo. Pedagoga formada pela FAPI - Faculdade de Pinhais. Fez diversos cursos na área artística, como: pintura e desenho, pintura em tela e em mármores, decoupage, stuccos, pátina. Participou de programas de tevê apresentando técnicas de pinturas especiais. Atualmente, é professora de Arte e Desenho Geométrico e autora do material de Desenho Geométrico do J. PIAGET – Sistema de Ensino Multimídia.

Alfabetização e letramento: conceitos práticos vinculados à teoria

O curso propicia uma reflexão sobre os processos de aprendizagem na construção da escrita pela criança, baseado na psicogênese da linguagem escrita. Utiliza materiais como o PROFA (Programa de Formação de Professores Alfabetizadores), produzido pelo MEC. Esse curso também proporciona a aprendizagem de teorias e práticas significativas sobre alfabetização e letramento, que favorecem a criação de atividades e ambientes estimuladores, permitindo o desenvolvimento das habilidades de leitura e escrita da criança.

Os participantes devem vir com roupas confortáveis, trazer sucatas em geral (pote de iogurte, garrafa PET, etc.) e um objeto que inicie com cada letra que compõe o próprio nome (primeiro nome).

Oficina destinada a educadores da Educação Infantil ao 2o ano.

Fátima Chiapetta

É graduada em Pedagogia e pós-graduada em Psicopedagogia e Psicodrama. Já atuou como coordenadora pedagógica em todos os níveis de ensino, da Educação Infantil até o Ensino Médio. Também é professora universitária de temas como: “Como elaborar projetos sociais” e “Ética e cidadania”. Além disso, ministra palestras e cursos em editoras e realiza assessoria pedagógica em diversas escolas. Atualmente, é orientadora educacional no Colégio Piaget da Educação Infantil ao Ensino Médio.

Campos de experiências na Educação Infantil: jogar, brincar, criar e experimentar como forma de educar

O objetivo da oficina é tratar do trabalho com os campos de experiências propostos na BNCC, isto é, as diferentes linguagens e conteúdos de conhecimento que indicam o que o professor deve procurar atingir com seus objetivos ao planejar as atividades. Com os campos de experiências, as crianças podem se expressar e interagir com situações que permitem exploração, pesquisa, imaginação, expressão, movimento, etc.

Os participantes devem vir com roupas confortáveis e tênis.

Fernanda Sona

Graduada em Pedagogia e pós-graduada em Educação Infantil, ministra aulas no Colégio Piaget e na Prefeitura de Santo André para a Educação Infantil e o Ensino Fundamental I. Realiza palestras, oficinas pedagógicas e cursos de capacitação e formação contínua em escolas públicas e particulares.

Mediador de leitura: cativar para formar leitores

O objetivo é refletir sobre o trabalho de um mediador de leitura e como ele poderá aumentar o repertório dos leitores iniciantes, gerando condições e criando um ambiente que estimule a articulação entre informações, mesmo que esse leitor seja ainda um bebê. A leitura permite transformar nossa visão do mundo, reavaliar nossos sentimentos e emoções, encontrar respostas para nossos conflitos, conhecer novos mundos, viajar no tempo, conhecer culturas e civilizações. Possibilitar que o leitor descubra esse poder que vem dos livros é um desafio constante, pois formar bons leitores significa, antes de tudo, motivar, encantar, despertar a vontade de visitar histórias e outras histórias, abrindo portas para o autoconhecimento e para a compreensão do outro.

Oficina destinada a educadores da Educação Infantil ao 2o ano.

Lílian Paula Malavolta A. de Mônaco

Formada em Psicologia pela UMESP e Pedagogia pela FASB, pós-graduanda em Alfabetização e Letramento pela UMESP. Desenvolveu trabalhos relacionados a portadores de necessidades educacionais especiais em processo de alfabetização.

A importância do processamento auditivo para o desempenho escolar

O objetivo dessa oficina é abordar questões conceituais relacionadas ao processamento auditivo, descrição do exame de processamento, interpretação dos resultados e estratégias em sala de aula.

Simone Cucolicchio

Fonoaudióloga clínica, especialista em Neuroeducação. Realiza trabalhos específicos, como o Aprimoramento em Processamento Auditivo Central e Assessoria Fonoaudiológica na Educação Infantil e no Ensino Fundamental I.

Reconhecendo o valor da mudança: adapte-se ao futuro!

O mundo está vivendo transformações cada vez maiores e mais rápidas, a dinâmica do conhecimento não tem mais espaço para o “deixar para depois”. Nessa oficina, faremos uma reflexão sobre a importância da adaptação às novas formas de lidar com as mudanças, trabalhando a conscientização, ferramentas de coaching e exercícios práticos

Alexandre Giomo

Atuou como professor universitário nos cursos de graduação da Faculdade de Interação Americana na cadeira de Administração com ênfase em Marketing e Negócios. Possui MBA em Gestão de Pessoas e em Marketing pela FGV e é especialista na ferramenta DISC/VALORES pela Success Tools & Coach, formado pela Sociedade Brasileira de Coaching. Atualmente, é proprietário da Evolution Training & Coaching. Atua como facilitador em projetos corporativos de Desenvolvimento de Líderes e Equipes, Gestão e Diagnóstico de Clima Organizacional, com metodologia própria no desenvolvimento de fatores e indicadores, na implantação e orientação de gestão por competências e na avaliação de desempenho. Atua também como gerente comercial da editora J. PIAGET – Sistema de Ensino Multimídia.

Brincadeiras musicais: a música en(cantando) o brincar em todas as idades

Brincar de fazer música ou fazer música brincando? O que será mais divertido? Participar dessa oficina é descobrir que o universo do aprender musical se dá muito melhor quando a criança se diverte. Brincando, cantando, tocando, poderemos explorar as inúmeras possibilidades que a música tem de transformar o espaço pedagógico em uma encantadora casa do brincar. Ideal para os adultos que ainda possuem a sua criança interior bem acordada e mais ideal ainda para aqueles que querem despertar a sua.

Danilo Borges

Compositor e regente formado pela Universidade Estadual Júlio de Mesquita Filho (Unesp), violonista erudito formado pelo Conservatório Musical André da Silva Gomes, pós-graduado em Musicoterapia Organizacional e Hospitalar pela FMU. Leciona em escolas há mais de 15 anos e é professor de violão, musicalização infantil e educação musical do Colégio Piaget desde 2004. É realizador do projeto musical “Dança das Águas”, trabalho que vem sendo utilizado por diversos terapeutas como um potente auxiliar para a busca de uma reabilitação da saúde mental, física e psicológica. Atualmente, é pós-graduando em Pedagogia Waldorf.

Práticas de linguagem contemporâneas: os gêneros digitais

“As práticas de linguagem contemporâneas não só envolvem novos gêneros e textos cada vez mais multissemióticos e multimidiáticos, como também novas formas de produzir, de configurar, de disponibilizar, de replicar e de interagir” (BNCC, 2017). Para essa oficina, objetivamos o trabalho com alguns gêneros e textos da cultura digital de forma a ampliar a compreensão e a possibilitar uma participação mais qualificada do ponto de vista ético, estético e político nas práticas de linguagem.

Elaine Giomo

Graduada em Letras Português/Inglês pela FFCL da Fundação Santo André e pós-graduada em Crítica Literária pela PUC-SP. Atuou como professora dos Ensinos Fundamental e Médio no Colégio Piaget e como autora de material didático de Língua Portuguesa. Atualmente, é palestrante do J. PIAGET – Sistema de Ensino Multimídia.

Jogos, brincadeiras e dinâmicas que transformam os conteúdos abstratos aprendidos em sala de aula em situações concretas do dia a dia: compreendendo para que servem e como se usam esses conteúdos na vida

Receber informações está diretamente relacionado à maneira como a criança as interpreta. Dependendo do contexto envolvido, as informações recebidas conduzem seu pensamento e, consequentemente, seu comportamento, que podem ser adequados ou não. Esse curso pretende auxiliar na ressignificação de algumas condutas e comportamentos do professor através de vivências teóricas e práticas, que certamente vão potencializar suas qualidades, fornecendo mais possibilidades de ações educativas.

Everton Rodrigues

Possui Bacharelado e Licenciatura em Educação Física, MBA em Gestão Escolar, especialização em Metodologia de Treinamento e Iniciação no Futsal e Futebol e em Administração e Marketing Esportivo. Tem experiência nas áreas de Programação Neurolinguística e Psicomotricidade na Educação Infantil e Desenvolvimento Humano. Já foi atleta de futsal e futebol, árbitro de futsal e é autor do livro Futebol: História, Técnicas e Treino de Goleiro. Atualmente, é coordenador de esportes e cultura do Colégio Piaget e palestrante na área de Psicomotricidade.

Alfabetização e letramento: conceitos práticos vinculados à teoria

O curso propicia uma reflexão sobre os processos de aprendizagem na construção da escrita pela criança, baseado na psicogênese da linguagem escrita. Utiliza materiais como o PROFA (Programa de Formação de Professores Alfabetizadores), produzido pelo MEC. Esse curso também proporciona a aprendizagem de teorias e práticas significativas sobre alfabetização e letramento, que favorecem a criação de atividades e ambientes estimuladores, permitindo o desenvolvimento das habilidades de leitura e escrita da criança.

Os participantes devem vir com roupas confortáveis, trazer sucatas em geral (pote de iogurte, garrafa PET, etc.) e um objeto que inicie com cada letra que compõe o próprio nome (primeiro nome).

Oficina destinada a educadores da Educação Infantil ao 2o ano.

Fátima Chiapetta

É graduada em Pedagogia e pós-graduada em Psicopedagogia e Psicodrama. Já atuou como coordenadora pedagógica em todos os níveis de ensino, da Educação Infantil até o Ensino Médio. Também é professora universitária de temas como: “Como elaborar projetos sociais” e “Ética e cidadania”. Além disso, ministra palestras e cursos em editoras e realiza assessoria pedagógica em diversas escolas. Atualmente, é orientadora educacional no Colégio Piaget da Educação Infantil ao Ensino Médio.

How to learn English with games

It will be focused on how to motivate students of a young age to learn another language in a fun way. There are many games, music and on-line tools that the English teacher can use to help the learning process and make it more appealing to students.

Jenifer Morais

Profissional formada em Letras Português/Inglês na UMESP (Universidade Metodista de São Paulo). Possui diversas certificações de proficiência em língua inglesa: FCE Certificate, TKT Certificate Module I e TKT Certificate Module II.

O trabalho com crianças com TDAH e a aprendizagem

A oficina tem o objetivo de conceituar o Transtorno de Déficit de Atenção e Hiperatividade, conhecer os fatores neurobiológicos que levam a criança com TDAH a apresentar dificuldades de aprendizagem e ainda buscar estratégias de ensino-aprendizagem para colaborar com o desenvolvimento global do aluno. A proposta vai ao encontro dos direitos de aprendizagem presentes na Base Nacional Comum Curricular.

Joice Góe

Pedagoga, psicopedagoga e especialista em Educação Especial com ênfase em Deficiência Intelectual. Atuou em escolas privadas e municipais de Educação Especial em São Bernardo do Campo. Hoje, atua com Educação Especial na Perspectiva Inclusiva no Atendimento Educacional Especializado em Santo André e como psicopedagoga clínica em São Bernardo do Campo

Mediador de leitura: cativar para formar leitores

O objetivo é refletir sobre o trabalho de um mediador de leitura e como ele poderá aumentar o repertório dos leitores iniciantes, gerando condições e criando um ambiente que estimule a articulação entre informações, mesmo que esse leitor seja ainda um bebê. A leitura permite transformar nossa visão do mundo, reavaliar nossos sentimentos e emoções, encontrar respostas para nossos conflitos, conhecer novos mundos, viajar no tempo, conhecer culturas e civilizações. Possibilitar que o leitor descubra esse poder que vem dos livros é um desafio constante, pois formar bons leitores significa, antes de tudo, motivar, encantar, despertar a vontade de visitar histórias e outras histórias, abrindo portas para o autoconhecimento e para a compreensão do outro.

Oficina destinada a educadores da Educação Infantil ao 2o ano.

Lílian Paula Malavolta A. de Mônaco

Formada em Psicologia pela UMESP e Pedagogia pela FASB, pós-graduanda em Alfabetização e Letramento pela UMESP. Desenvolveu trabalhos relacionados a portadores de necessidades educacionais especiais em processo de alfabetização.

Os diferentes significados da fração e sua influência sobre o ensino e a aprendizagem

Para compreender o conceito de fração, é necessário que os alunos se tornem capazes de utilizar esse conceito nas diversas situações em que ele se apresenta. É comum, nas escolas, trabalhar somente o significado parte-todo, no entanto estudar fração vai além disso. Nessa oficina, trabalharemos a fração, seus diferentes significados e como eles se aplicam na resolução de problemas.

Varluce Manfrinato

Graduada em Pedagogia. Foi professora da Educação Básica em escolas públicas e particulares. Atualmente, é coordenadora pedagógica do Ensino Fundamental I do Colégio Piaget. Realiza palestras, oficinas pedagógicas e cursos de capacitação e formação continuada pela editora J. PIAGET.

Reconhecendo o valor da mudança: adapte-se ao futuro!

O mundo está vivendo transformações cada vez maiores e mais rápidas, a dinâmica do conhecimento não tem mais espaço para o “deixar para depois”. Nessa oficina, faremos uma reflexão sobre a importância da adaptação às novas formas de lidar com as mudanças, trabalhando a conscientização, ferramentas de coaching e exercícios práticos

Alexandre Giomo

Atuou como professor universitário nos cursos de graduação da Faculdade de Interação Americana na cadeira de Administração com ênfase em Marketing e Negócios. Possui MBA em Gestão de Pessoas e em Marketing pela FGV e é especialista na ferramenta DISC/VALORES pela Success Tools & Coach, formado pela Sociedade Brasileira de Coaching. Atualmente, é proprietário da Evolution Training & Coaching. Atua como facilitador em projetos corporativos de Desenvolvimento de Líderes e Equipes, Gestão e Diagnóstico de Clima Organizacional, com metodologia própria no desenvolvimento de fatores e indicadores, na implantação e orientação de gestão por competências e na avaliação de desempenho. Atua também como gerente comercial da editora J. PIAGET – Sistema de Ensino Multimídia.

Desenvolvendo autonomia na pesquisa on-line

Na frente de uma tela de computador, celular ou tablet, conectados a uma página de pesquisa, muitas vezes nos vemos diante de uma mesma questão: o que, dentre tantas informações, é realmente relevante e confiável? Essa oficina tem como objetivo discutir como podemos desenvolver com nossos alunos habilidades para transformar dados em informação e informações em conhecimento.

Carlos Motta

Professor de Filosofia na FAPCOM – Faculdade Paulus de Comunicação. É doutor em Filosofia pela PUC-SP, mestre em Filosofia pela PUC-RJ, graduado em Filosofia pela Universidade Metodista de São Paulo. Foi professor de Filosofia da PUC-SP, professor de Pós-Graduação lato sensu em Filosofia Contemporânea e História na Universidade Metodista de São Paulo. Atualmente, é pesquisador no grupo de pesquisa “Perspectivas Críticas da Filosofia Contemporânea” na Universidade Federal do ABC. Tem experiência na área de Filosofia com ênfase em Teoria do Conhecimento, Filosofia Moderna e Filosofia da Ciência, atuando principalmente nos seguintes temas: conhecimento, lógica, indução, ciência, causação e racionalidade e nas interfaces entre filosofia e educação. É autor de Introdução à Epistemologia de Francis Bacon, publicado pela Editora Nova Harmonia.

Trabalhando jogos matemáticos no Ensino Fundamental II

Nesse encontro, discutiremos como os jogos podem auxiliar nas aulas de Matemática e de que forma podemos utilizá-los como ferramenta no aprendizado significativo dos alunos. Vamos criar, brincar, discutir e ressignificar alguns jogos, conversando sobre como utilizá-los em aula e de que forma os conteúdos matemáticos pertinentes à BNCC podem ser atendidos de maneira lúdica e criativa.

Deivid Cezário

Graduado em Matemática pela UMESP – Universidade Metodista de São Paulo, Especialista em Educação para o Ensino Superior, Mestre em Matemática Profissional pela UFABC – Universidade Federal do ABC (programa PROFMAT). Assessor pedagógico em matemática e práticas pedagógicas, atuando diretamente nas escolas junto aos coordenadores pedagógicos e auxiliando os professores na preparação e execução de suas aulas. Professor de Ensino Fundamental II pela prefeitura municipal de São Caetano do Sul. Professor em cursinho preparatório pré-vestibulinho da região do ABC.

Práticas de linguagem contemporâneas: os gêneros digitais

“As práticas de linguagem contemporâneas não só envolvem novos gêneros e textos cada vez mais multissemióticos e multimidiáticos, como também novas formas de produzir, de configurar, de disponibilizar, de replicar e de interagir” (BNCC, 2017). Para essa oficina, objetivamos o trabalho com alguns gêneros e textos da cultura digital de forma a ampliar a compreensão e a possibilitar uma participação mais qualificada do ponto de vista ético, estético e político nas práticas de linguagem.

Elaine Giomo

Graduada em Letras Português/Inglês pela FFCL da Fundação Santo André e pós-graduada em Crítica Literária pela PUC-SP. Atuou como professora dos Ensinos Fundamental e Médio no Colégio Piaget e como autora de material didático de Língua Portuguesa. Atualmente, é palestrante do J. PIAGET – Sistema de Ensino Multimídia.

Desenho animado e cinema em sala de aula

A sala de aula nos proporciona inúmeras possibilidades de abordagens sobre os conteúdos programáticos, porém o desafio é despertar a curiosidade dos alunos. O processo de ensino-aprendizagem precisa dialogar com o mundo em que os alunos estão inseridos e pode receber o reforço didático e lúdico dos desenhos animados e filmes para garantir um diálogo entre o conteúdo teórico e suas representações no universo fantástico.

Fábio Serra

Cientista social graduado pela Fundação Santo André, pós-graduado em História, Sociedade e Cultura pela PUC-SP. É pedagogo graduado pela USP (Universidade de São Paulo). Atua como professor de História no Ensino Fundamental II e de Filosofia e Sociologia no Ensino Médio.

Tema 1: Indisciplina na sala de aula – estratégias comportamentais de intervenção

Tema 2: Limites e uso da tecnologia: aprendendo a lidar com a geração conectada

Serão trabalhados dois temas na mesma oficina. No tema 1, tem-se como objetivo mostrar, por meio da Análise do Comportamento, como os comportamentos considerados inadequados são evocados e quais princípios básicos de análise são utilizados para verificar a relação existente entre a sala de aula e a indisciplina. Trabalharemos estratégias comportamentais de intervenção para reduzir comportamentos inadequados e potencializar comportamentos socialmente aceitáveis, além de destacar o papel da escola e da família no contexto educacional.

Já no tema 2, apresentaremos um histórico da internet no Brasil e das principais redes sociais. Mostraremos dados sobre quanto tempo crianças e adolescentes ficam conectados. Um dos objetivos é destacar como a tecnologia influencia na cultura e apresentar como o processo de educação concorre com o aprendizado nas redes sociais e como lidar com esta situação. Também serão apresentadas estratégias para adequação do processo de aprendizagem escolar.


Leandro A. Morais

Psicólogo graduado pela UMESP (Universidade Metodista de São Paulo), pós-graduando em Educação de Pessoas com Transtorno do Espectro Autista e/ou com Atraso no Desenvolvimento pela UFSCar. Fundador do Núcleo de Consultoria Educacional Inclusiva – NCEI. Atua como consultor educacional inclusivo (NCEI), orientador comportamental e coordenador de Equipe Multidisciplinar (Escola CrerSer de Educação Especial).

Tema 1: O professor neuroeducador: como a neurociência pode (re)construir o professor do século 21?

Tema 2: Família: como educar para o sucesso

Serão trabalhados dois temas na mesma oficina. No tema 1, o objetivo é fazer uma reflexão sobre os avanços tecnológicos, científicos e culturais que provocaram mudanças sociais muito significativas. Também será abordado como a escola, em seu aspecto institucional, não acompanhou essa mudança, permanecendo muito próxima do padrão que víamos 100 anos atrás. É um lugar comum dizer que a escola precisa se atualizar e que os professores precisam entrar no século 21 para se conectar com seus alunos, mas qual é o caminho? Uma das opções é fazer do professor um neuroeducador, empoderando-o com um entendimento aprofundado de como o órgão da aprendizagem, nosso cérebro, funciona. As neurociências trazem uma luz para podermos produzir contextos de aprendizagem mais eficientes.

No tema 2, o encontro abordará quais são as principais dificuldades e facilidades que os pais encontram nos dias de hoje para educar seus filhos. O principal objetivo é transmitir o que dizem os estudos atuais das neurociências sobre as principais habilidades que precisam ser desenvolvidas na educação de crianças e jovens atualmente para que aumente a chance de sucesso na vida adulta.

Patrícia Sorrentino

Marieliz Toledo Arruda da Cruz

Patrícia Sorrentino é psicopedagoga clínica, especialista em Neurociências para Aprendizagem e Transtornos do Aprender (Instituto Saber – SP). É certificada em Aperfeiçoamento em Reabilitação Cognitiva (Instituto Neurológico de SP – Beneficência Portuguesa de São Paulo). Possui mestrado em “Teaching English as a Foreign Language” (Universidad de Jaén/Espanha), Cambridge English Language Assessment Examiner (Young learners – CPE) e Certificate for Teacher Trainers – School for International Training (Vermont, EUA). Atua na área clínica de avaliação e intervenção de dificuldades e transtornos de aprendizagem. Tem experiência em intervenção em dificuldades de aprendizagem para alfabetização bilíngue e em consultoria educacional, além de atuar em formação e treinamento de professores há mais de 18 anos.

Marieliz Cruz é fundadora do ABC Aprendizagem Centro Psicopedagógico Interdisciplinar, psicóloga clínica e educacional, psicanalista, especialista em Psicologia Clínica pela USP. Especialista em Psicopedagogia Clínica e Educacional pela UMESP, em Aprendizagem e em Neuropsicologia pela Faculdade de Medicina do ABC. Formada no Programa de Modificabilidade Cognitiva Estrutural de Reuven Feuerstein (Hadassah – Wizo – Canadá) e pela Associação Brasileira de Dislexia. Cursou Aprimoramento em Reabilitação Neuropsicológica (CefacSP). Atua como supervisora clínica e educacional, coordenadora de cursos de capacitação em escolas públicas e particulares e tutora qualificada para aplicação de softwares internacionais especializados em reabilitação cognitiva dos transtornos de aprendizagem. Autora do livro Autoestima (Edicon, 1997), de diversos artigos relacionados à aprendizagem e de materiais pedagógicos das séries iniciais do Ensino Fundamental.

As competências socioemocionais: quais são, como e por que devem fazer parte do currículo da escola

A formação do ser humano vai muito além do conhecimento de conteúdos. Nos últimos anos, o desenvolvimento das competências socioemocionais mostrou-se imprescindível para que os alunos tenham uma formação mais completa. O objetivo dessa oficina é dar elementos ao professor para trabalhar essas competências, previstas na Base Nacional Comum Curricular.

Neide Aprile

Psicóloga clínica e escolar com especialização em Psicodrama. Já trabalhou como orientadora educacional e como autora dos Temas Transversais para o material didático do J. PIAGET – Sistema de Ensino Multimídia. Ministra palestras sobre diversos temas relacionados à educação em todo o Brasil.

Mediação do conhecimento: uma proposta concreta para conciliar teoria e prática no processo de ensino-aprendizagem

A docência é uma ciência e, como tal, possui teorias e conceitos para explicar a realidade, além do permanente aprimoramento e superação dos conhecimentos constituídos. Assim sendo, a oficina apresenta uma proposta concreta de aplicação em sala de aula, que concilia teoria e prática no desenvolvimento dos conteúdos e da “ciência da docência”.

Vilson Bruzati

Professor bacharel e licenciado em Geografia pela Universidade de São Paulo; mediador de PEI I (Programa de Enriquecimento Instrumental); membro do grupo de pesquisas e estudos “Ensino e a aprendizagem mediada de Geografia – formação de professores de Geografia na era da informação” pelo LEMADI (Laboratório de Ensino e Material Didático do Departamento de Geografia/FFLCH-USP).

Língua Espanhola: Educando para o Século XXI – um novo olhar para a nossa prática

Visando preparar os alunos para a educação do século XXI, precisamos rever algumas práticas de forma que o nosso trabalho responda às necessidades atuais dos jovens brasileiros, indo além do aprendizado de estruturas gramaticais e comunicativas, permitindo a ampliação de seu horizonte cultural e possibilitando a interação com o mundo ao seu redor, cada vez mais dinâmico e interligado tecnologicamente. Propomos uma oficina de trabalho prático com a língua espanhola abordando as diferentes habilidades – leitura, escrita, fala e escuta – e aplicando ferramentas digitais e lúdicas como potencializadores da aprendizagem.


CLÉBER FERREIRA